Carta ao passado

www.pexels.com

 

Por favor, você pode dar a licença de sair dos meus pensamentos? Tudo o que penso me lembra você, me lembra o jeito com que me olhava, o jeito com que me beijava, o jeito com que me chamou pra dançar.

Não quero mais alimentar minhas expectativas, alguém me ensina a não pensar em você. Acho que agora entendo o que significa amor e ódio, você me deu os melhores momentos da minha vida e eu te amo por isso, te amo por quem você é, te amo por quem você me mostrou ser, e o melhor de tudo. A gente não precisou fingir nada, eu era simplesmente eu e você simplesmente você, sem amarras, era tão leve…

E de uma hora pra hora me deparo com o ódio, o ódio de sentir saudades, o ódio de não conseguir parar de te amar, sinto ódio pelo ódio que sinto.

Queria não sentir nada, queria sentir indiferença, queria não lembrar de você pela dor que simplesmente lembrar me trás, mas eu te amo tanto que não quero te esquecer, não quero esquecer o quanto fui feliz, não quero esquecer, nenhum detalhe, mas eu preciso. Por onde eu começo? Por qual caminho dói menos?

Eu sinto muito por sentir tanto. Eu não quero mais sentir.

 

Comentários via Facebook

Comente