Se Durdle Door fosse uma pessoa

Diria que sim, as famílias do comercial de margarina existem. Lembro como se fosse hoje, do cheiro da grama, o azul do céu, que era tão azul que quando contrastava com a grama parecia que eu estava na tela inicial do Windowns.

No caminho, casas de madeira, pai, mãe e filho jogando bola e um labrador correndo entre eles; quando vi tudo aquilo parecia que imediatamente eu teria sido transportada para o mundo ideal. Se Durdle Door falasse, diria que aquele tipo de paisagem era cotidiano, e que não havia nada de estranho. Estranho era eu achar estranho.

Suas paisagens são lindas, diria que estão no meu ranking.

Desde as pedrinhas arredondadas, a cor esverdeada do mar quando se via de perto, e o azul mesclando cada gota daquele mar. As rochas pareciam que tinham sido esculpidas; e foram, por Deus, acho que Ele esculpiu uma a uma e se preocupou com cada detalhe.

Sem falar do “portal” como minha mãe chama. Ela dizia que quando eu estivesse lá e passasse por aquele portal apareceria no sofá de casa hahaha (acho que sei de onde vem minha criatividade).

Na verdade, dizem que a pedra tem o formato de um dinossauro, e quando se vê de longe, tem mesmo.

Se Durdle Door fosse uma pessoa ela diria para que não desistíssemos dos nossos sonhos, que aquilo que está guardado no mais profundo do nosso coração pode ser realizado sim. As vezes, a vida pode parecer cruel, mas existem momentos como o comercial de margarina para amenizar o sofrimento e trazer a esperança e a fé que precisamos para viver.

E o que esta cidade não poderia esquecer de dizer é: APRECIE AS COISAS SIMPLES DA VIDA, POIS É LÁ QUE SE ENCONTRAM AS MELHORES RECORDAÇÕES.

Comentários via Facebook

Comente