Deixando meu castelo desabar e os muros ruírem

Deixando meu castelo desmoronar, os muros ruírem, as flores murcharem, as folhas caírem… Cansei de lutar contra o inverno, contra a ventania que se aproximou de mim, cansei de não aceitar as catástrofes que eles trouxeram, cansei de fingir que tudo está bem, na verdade não está.
Talvez eu precise dessa nova estação para minha vida, talvez eu precise dessa catástrofe para que eu possa reerguer meu castelo, levantar os muros, plantar novas flores, e depois que tudo isso passar, que tudo estiver acabado, no chão, olhar e falar “ufa! acabou!” Aceitar talvez seja a melhor forma de lidar, aceitar é arcar com as consequências, é aprender, é inovar a si mesmo, é conhecer seus limites, é se auto desenvolver. Decidi somente observar, me acalmar, sentir… Lutar contra desgasta, dói mais do que deveria doer, estou satisfeita das dores e empanturrada de ansiedades.
Quero somente ouvir o vento e nada mais, somente ouvir o silêncio, sem reclamar, sem me desgastar. Sinceramente, já não tenho mais forças. Vou somente observar e depois vejo o que faço, já não quero mais a ansiedade como minha conselheira. É como se eu estivesse lutando há tempos contra a correnteza e simplesmente parasse de nadar contra, relaxasse meus músculos e respirasse tranquilamente.
Mas que fique claro que não deixei de lutar, mas percebi que as vezes temos que aceitar, esperar, sentir e crescer somente, viver o presente, viver o hoje, este exato momento que lhe é dado.
Talvez, lendo este texto agora, pareça ser fácil, mas não é, é uma luta diária, é escolher cada momento, é ter fé, esperança, isto é só uma fase como todas as outras boas e ruins que eu já passei. Porque estou dando tanto ênfase à ela? Talvez eu tenha dado às outras também, mas hoje eu escolhi relaxar, fazer a minha limonada do dia e esperar para que eu possa desenhar uma nova planta do meu castelo.L

 

Ler a postagem

Levanta a cabeça garota!

 Levanta a cabeça garota!
O fim não chegou, o mundo não acabou, só é mais uma daquelas fases que você achava que não ia passar, lembra? Só que em outro contexto, com outros personagens, te trazendo sensações, sentimentos e emoções diferentes.
Sei que dessa vez está um pouco mais difícil, mas você está mais madura e possui mais experiências, experiências daquelas outras vezes que você viu o mundo acabar, você pode usar o que aprendeu com elas, não tem problema. O importante é que você espere calmamente e tenha fé porque essa é só mais uma fase ruim para sua coleção, aliás, não posso chamá-la de fase ruim, seria como se eu negasse quem você é hoje.
Os momentos bons são maravilhosos, claro. Mas se não fossem esses “fins do mundo” quem você seria agora? Teria essa resiliência que tem hoje? Saberia a dor que é ser você? Saberia a delícia que é ser você?
Sabe aquela brisa que acaricia seu rosto? Você a sentiria da mesma forma? Não, eu acho que não. Você é quem você é hoje, está escrevendo esse texto graças a esses “fins do mundo”. Você é uma mistura de risos, lágrimas, pensamentos, felicidades e “fins do mundo”, sim, eles te perseguem e perseguem a toda humanidade, não pense que é particular com você.
É como se fosse uma prova, é como se Deus falasse “olha filha, agora depois de todo esse tempo de aula, teremos que fazer uma prova e Eu sei que você vai se sair bem”. É mais fácil lembrar delas, usar de argumento com os outros, pra motivar, é mais fácil mostrar para o outro que passa, porque quando estamos “no fim do mundo” parece que não vai passar nunca, mas você sabe que vai, no fundo você sabe que vai dar tudo certo e daqui a pouco isso tudo vai passar como das outras vezes e você vai lembrar disso como um grande aprendizado e ver como tudo isso te mudou para melhor.
Vai dar tudo certo, não tenha pressa, só aprenda, é aos poucos que as coisas vão dando certo.

Ler a postagem